segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Duas Metades

Oiço-nos...
Dois corações, duas vozes...
Uma rima... um só nome...!
Metade de mim, metade de ti...
Só assim me sinto COMPLETA.

5 comentários:

maria disse...

Descreves o amor com arte...
simples e claro...
Como tudo o que é belo...

Lindo, Juliana

beijo

DE-PROPOSITO disse...

Os chamados 'versos brancos'. Não sou muito 'apaixonado' por eles. No entanto reconheço que em alguns há muita arte.
Quanto a este poema é próprio de uma determinada idade. Quero eu dizer, que uma pessoa de 50 anos nunca o escreveria. Com essa idade, a forma de ver o mundo já é diferente.
Fica bem.
Felicidades.
Um beijinho.
Manuel

DE-PROPOSITO disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
DE-PROPOSITO disse...

Duas Metades

Oiço-nos...
Dois corações, duas vozes...
Uma rima... um só nome...!
Metade de mim, metade de ti...
Só assim me sinto COMPLETA
--------------
Claro que não são 'DUAS METADES'! Ou melhor; serà 'duas metades completas'. E a união de ambas, far-se-à 'UMA'.
A beleza da poesia, onde é possível sonhar.
Um beijinho
Manuel

...........
SÍSIFO

Recomeça...
Se puderes,
Sem angústia e sem pressa.
E os passos que deres,
Nesse caminho duro
Do futuro,
Dá-os em liberdade.
Enquanto não alcances
Não descanses
De nenhum fruto queiras só metade.

E, nunca saciado,
vai colhendo
ilusões sucessivas no pomar.
Sempre a sonhar
E vendo,
Acordado,
O logro da aventura.
És homem, não te esqueças!
Só é tua a loucura
Onde, com lucidez, te reconheças.

Miguel Torga

Broken Rose disse...

NANA :D eu lembro-me quando postas.te isto no DA... aii NUNCA MAIS LA VOLTA.TE NE??